Guthrie Govan Wonderful Slippery Thing Part I Solo Cover

Video Posted on

Aqui fica uma pequena parte da intro deste fantástico tema!

Artista: Guthrie Govan

Album: Erotic Cakes

Tema: Wonderful Slippery Thing

 

Advertisements

Mobile Interfaces

Posted on Updated on

Olá, hoje venho aqui falar sobre Mobile Interfaces.

Trata-se de um tipo e placa de som usada para ligar a dispositivos móveis.

Vejamos o caso do iRig da empresa IK MULTIMEDIA:

Este pequeno dispositivo permite ligar a guitarra ou qualquer outro instrumento de cordas a um iPhone ou iPad.

É bastante acessível. Depois basta descarregar a aplicação (Amplitube) na AppStore, ligar a guitarra, os headphones e criar os nossos próprios sons dentro do software.

O Amplitube tem várias versões:

Mas o mais interessante é que podemos descarregar a versão grátis que já está bastante bem equipada. Depois e se quisermos, podemos sempre comprar todo o tipo de amplificadores e efeitos à parte. Consultem o link em cima para mais informações.

Noutro estilo encontramos também o Bias e o JamUp da companhia Positive Grid:

Neste caso também temos uma placa de som dedicada, a JampUp Plug:

Com um estilo diferente do iRig, mas a função é a mesma.

Este tipo de hardware e software, entre outras marcas, garantem uma grande qualidade de som. Conseguimos obter um som muito semelhante aos amplificadores e efeitos que simulam. São bons investimentos para quem tem iPhone ou iPad e quer grande portabilidade.

No caso do Amplitube, podemos inclusive adquirir um pequeno estúdio à semelhança do GarageBand, e gravar multipista.

Fantástico e incrível uma vez que falamos de dispositivos que cabem na palma da mão.

No caso do iPad ou iPhone, se tivermos adquirido o GarageBand App, podemos usar a aplicação em simultâneo com qualquer uma das outras aplicações para guitarra. Este procedimento denominado de InterApp, permite por exemplo, sequenciar uma bateria mais complexa no GarageBand e depois usar o Amplitube para gravarmos a guitarra.

Todos estes projectos podem depois passar para o computador através do iTunes.

Há muitas opções a explorar. Num próximo post, vou realizar um vídeo demonstrativo de todas as capacidades destes softwares.

Segundo alguns teste, podemos usar o iRig ligado diretamente ao Mac e usar como placa de som no GarageBand.

E agora com a última versão do iRig, o iRig HD, o som e a performance melhoraram substancialmente.

Num cenário realista, usamos apenas o iPad, com o iRig HD e ao invés de headphones, ligamos uns monitores de estúdio e temos uma plataforma fantástica para tocar em casa, gravar e mesmo levar para concertos!

Uma opção muito válida a ter em conta, visto num só dispositivo termos à nossa disposição dezenas de amplificadores e pedais de efeitos que de outra forma seriam quase impossíveis de adquirir e nada práticos de transportar.

Até breve!

GarageBand

Posted on

Boas, neste post vou falar um pouco do fantástico GarageBand.

Este software evoluiu muito nas últimas atualizações da Apple. E novo sistema operativo Mavericks, que é gratuito, o GarageBand é já considerado por muitos como um sequenciador profissional.

Irmão mais novo do Logic Pro X, o GarageBand adoptou muitas das suas funcionalidades. Um dos aspectos a ter em conta são os fantasticos sons de bateria retirados do Logic.

Com um interface mais simples de utilizar, o GarageBand é uma solução ideal para quem quer gravar sem perder muito tempo a mexer em botões.

Não tendo ainda uma mesa de mistura dedicada, compensa com muitas outras novas funções.

Os amplificadores de guitarra e baixo foram revistos e estão mais autênticos. Permite também a gravação simultânea de várias pistas. Neste caso precisamos de uma placa de som externa com múltiplas entradas.

O único ponto “negativo” deste software é o facto de ser preciso ter um Mac para o correr. A plataforma Windows não entra. O GarageBand faz parte de uma suite de software chamada iLife. De maneira que tem lógica ser apenas para utilizadores Mac.

O Windows não traz nem nunca teve nenhum software dedicado a audio para além de um simples gravador.

Os Macs são por norma menos acessíveis que os Pc’s. Falo de portáteis. Mas temos aquilo que compramos. E sem querer entrar muito neste assunto, qualquer boa máquina PC com as caracteristicas de um Mac vale o mesmo ou mais.

Tenho tido muitos colegas com problemas em Pc’s de grandes nomes, mas de baixo custo. São no entanto equipados com bons processadores, memória suficiente e boas gráficas. O problema reside depois em compatibilidade com o último Windows 8 e a maioria dos softwares no mercado. O pacote nunca parece completo, faltando sempre um driver ou outro para as coisas correrem bem. Falo de portáteis de baixo custo como referi anteriormente.

O GarageBand está também disponível para iPhone e iPad.

Continuando, ficam aqui algumas características fotos e um pequeno vídeo a demonstrar as capacidades da nova pista de bateria do GarageBand e num próximo post farei um pequeno tutorial para este fantástico software!

Até breve.

GarageBand

GarageBand

GarageBand

GarageBand

Video

Espero Por Ti (Tema remisturado)

Posted on

Boas, aqui fica o tema que remisturei como disse no último post.

Não tive oportunidade de gravar um video a mostrar os efeitos que usei e como fiz a mistura.

Fica para o próximo Post.

Até breve 🙂

Música: Juca Nery

Letra: Sara Batista

Remisturar

Posted on Updated on

Já falei um pouco acerca de uma mistura. Hoje vou começar a remisturar um tema com cerca de dez anos. Gravado por mim e uma vocalista.

O tema intitula-se:”Espero Por Ti”

O tema é simples e cantado em português. Como vou pegar novamente no projecto, não vou gravar tudo de novo. Vou manter o som antigo, para manter a originalidade e o “feeling” da gravação.

Vou sim mexer em compressão e equalização para lhe dar um som mais moderno.

Na altura foi tudo gravado directamente, à excepção da voz, que apesar de ter sido gravada com microfone, levou efeitos tipo reverberação na entrada, o que se torna quase impossível de remover. Efeito este usado nos dias de hoje, mas na altura foi um pouco exagerado.

A voz foi captada com o famoso SM-57. Não sendo propriamente uma referência para a voz, contou com uma grande performance vocal.

As guitarras acústicas foram directas, ficando com um som menos encorpado. E na bateria foi usado um loop.

Como já disse e no fundo, a ideia é corrigir alguns erros de captação e dar um som mais moderno ao tema.

Será publicado no próximo post, onde explicarei que tipo de efeitos utilizei, além de algumas fotos da sessão.

Vou utilizar o Pro Tools para este trabalho.
Até breve.